Home / Curiosidade / Barriga : O que cada formato diz

Barriga : O que cada formato diz


Que existem diferentes tipos de barriga , ninguém pode negar.

Existem aquelas barrigas que se formam por excesso de comida gordurosa, as que aparecem por inchaço ou retenção de líquidos, inclusive aquelas como consequência de ter dado a luz.

Cada uma dessas necessita um tratamento diferente para diminuir. Nesse artigo vamos contar como.

O que diz a nossa barriga?
Ter um ventre plano é o sonho de muitas mulheres. Algumas fazem dietas restritas e outras passam todo o dia em uma academia para consegui-la.

Entretanto, existem algumas que não conseguem alcançar seu objetivo. Por quê? Porque não realizam um tratamento específico de acordo com seu tipo de barriga.

Uma vez que você conheça (e aceite) qual é a forma que mais se assemelha à sua barriga, poderá empregar o caminho correto com melhores resultados.

Não é simplesmente fazer mil abdominais por dia e morrer de fome. Existem outras técnicas eficazes e não tão rigorosas.

Os diferentes tipos de barriga são:

1. Barriga inchada
A principal característica desse ventre é que pela manhã estão mais planos do que a tarde.

Vai aumentando à medida que passam as horas, seja pelo acúmulo de gases ou a indigestão.

Este tipo de barriga pode afetar tanto as mulheres com sobrepeso como as magras, e está relacionada com intolerâncias alimentares, alergias ou “intestinos preguiçosos” que aparecem quando a dieta é deficiente.

Isto quer dizer que, se seu estômago está acostumado a consumir sempre os mesmos alimentos (por exemplo, durante a semana come a mesma coisa várias vezes), será mais difícil se dar conta de que é intolerante a algo.

As intolerâncias mais comuns são à lactose, às leveduras, ao álcool e ao trigo ou glúten. Podem fazer a prova e deixar de comer alguns desses grupos de alimentos para analisar qual está provocando inchaço.

Uma vez que foram detectados, o seguinte passo é eliminá-los de sua dieta.

Isto quer dizer que deve ter um café da manhã diferente e mais nutritivo e não se dar ao prazer do que está acostumado (por exemplo, uma xícara de café), etc.

Também recomendamos que:

Não coma muito tarde à noite.
Beba muita água durante o dia.
Adicione probióticos saudáveis ao seu organismo para ajudar no trabalho da flora intestinal.

2. Barriga de pós-parto
Se você deu a luz a pouco tempo (inclusive nos últimos anos), pode apresentar esse tipo de barriga volumosa na parte inferior.

Com a gravidez o útero “abaixa” e fica mais pesado. É possível que chegue a necessitar, pelo menos, seis semanas para voltar a normalidade, ainda que, às vezes, pode demorar muito mais tempo.


Isso não significa começar a fazer exercícios no dia seguinte do parto (sugere-se esperar três meses), nem pensar continuamente no peso que ganhou com a gestação.

Nesse momento a única coisa que deve importar é sua saúde e à de seu bebe.

Uma vez que você já estiver mais relaxada e quiser começar a cuidar do seu corpo (e das típicas marcas da maternidade), recomendamos consumir suplementos de óleo de peixe, que serve para queimar gordura e ajuda a reduzir a produção de hormônios “necessitados” de comida.

Outra opção é consumir ácidos graxos bons (presentes no abacate, no salmão e nas sementes de chia, por exemplo) que aportam muitos nutrientes, combatem o cansaço e ajudam na absorção das vitaminas.

Para que a barriga esteja mais forte, você necessita realizar exercícios de pélvis (o mais conhecido é o de Kegel) e não abdominais, porque as abdominais são pensadas para músculos em boa forma, ou seja, após os exercícios de pélvis.

Após o parto, a barriga “se separa” e é preciso deixar que se recupere.

3. Barriga pequena baixa
É aquela que aparece em pessoas com uma carreira muito exigente ou das mães muito ocupadas.

Inclusive, aparece naquelas que sempre vão à academia e fazem dieta, mas sempre repetem os mesmos exercícios e os mesmos pratos de comida.

As demais partes do corpo vão bem, mas essa protuberância embaixo do abdômen afeta a silhueta.

Os maus hábitos relacionados a esse tipo de barriga são os abdominais excessivos ou as rotinas que nunca mudam (por exemplo, fazer sempre spinning).

Isso provoca uma queima de gordura das cadeiras, das pernas ou dos braços, mas não do ventre.

Uma boa alimentação é fundamental para eliminar essa pequena barriguinha. Desta maneira, você evitará a prisão de ventre e o inchaço.

Coma mais vegetais de folhas verdes, cereais integrais e frutas.
Mude os abdominais pelas flexões de braço ou os exercícios de resistência.
Introduza circuitos que contenham exercícios de força e aeróbicos (sentar, saltos, etc.).

4. Barriga de estresse
Ficar no escritório por muitas horas sentada em frente ao computador e comendo aperitivos é prejudicial para a saúde em muitos aspectos. Um dos principais prejudicados é a barriga.

Esse tipo de barriga caracteriza-se por um inchaço rígido e proeminente na região que vai desde o diafragma até o umbigo.

É produzida não apenas pela comida pouco saudável que é ingerida, mas também pela produção de um hormônio chamado cortisol ( que acumula gordura ao redor do estômago).

Se você excede na cafeína, come muito fast-food e não tem horários fixos para se alimentar, você é uma pessoa mais propensa a ter esse tipo de barriga.

Uma das maneiras de evitá-la é descansar mais, já que desta forma seu organismo vai se regular e você não comerá por ansiedade.

Combata o esgotamento com alimentos nutritivos como, por exemplo, os frutos secos.

Além disso, você deve reduzir o consumo de café a duas xícaras por dia e fazer mais exercícios relaxantes do que aeróbicos (ioga, taichí, caminhadas no parque, etc.).

Fonte

 


Veja também

Manchas escuras : acabe com elas

Manchas escuras Muitas pessoas enfrentam o problema de ter axilas, joelhos, pescoço ou cotovelos escuros. …