Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Dieta Low Carb


Se você já andou pesquisando sobre emagrecimento, já deve ter ouvido falar de dieta low carb.
Esse tipo de dieta está ultimamente na crista da onda, e motivos para tal não faltam.
Imagina poder tomar um belo café da manhã de ovos com bacon e ainda assim emagrecer?
A dieta low carb funciona mesmo?
A dieta low carb, ou seja, de baixo valor de carboidratos, funciona por uma série de motivos.
Em primeiro lugar, ao comer menos esse nutriente, a redução de peso é de até três vezes maior em comparação com as tradicionais dietas de baixo valor de gordura, as quais as pessoas estão mais propensas a seguir.
Por exemplo, diversos estudos já demonstraram a maior eficácia deste tipo de dieta sobre as tradicionais, que se baseiam em redução de gordura e calorias.
Este estudo, por exemplo, distribuiu 132 indivíduos obesos, com IMC de 43 em ou dieta low carb, ou dieta com baixo teor de gordura.
Diversos participantes tinham síndrome metabólica ou diabetes tipo II. O estudo durou 6 meses.
O grupo low carb perdeu uma média de 5,8kg, enquanto o grupo com baixa gordura apenas perdeu 1,9kg, com diferenças estatisticamente signficativas.
Isso sem falar na redução de triglicerídeos, sensibilidade à insulina, níveis de insulina circulante e glicemia de jejum, todos parâmetros positivos.

A dieta low carb é segura?

As dietas de baixo teor de carboidrato também têm um perfil de segurança excelente, sem efeitos colaterais graves que tenham sido relatados nos inúmeros estudos realizados.
Na verdade, essas pesquisas mostram que esse tipo de cardápio causa grandes melhorias em diversos fatores de risco.
Entre eles, os triglicerídeos que diminuem e o bom colesterol que aumenta.
A pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue também tendem a reduzir significativamente.
Uma elevada porcentagem da gordura perdida em uma dieta baixa em carboidratos vem da área da barriga e do fígado.
Vale lembrar que essa é a gordura visceral perigosa, que se acumula em torno dos órgãos, causando inflamação e diversas doenças. Além disso, quem possui a síndrome metabólica e/ou diabetes tipo 2 se beneficia ainda mais com essa dieta.
Outro motivo de esse tipo de dieta funcionar é que nas primeiras semanas em que se inicia o novo cardápio as pessoas têm a tendência de perder peso muito rapidamente.
A explicação é a redução no peso da água.
Ou seja, quando a insulina diminui, os rins começam a verter o excesso de sódio a partir do corpo.
Isto também reduz a pressão arterial.
E mais: o corpo armazena carboidratos na forma de glicogênio, que se liga à água nos músculos e do fígado.
Quando a ingestão de carboidrato reduz, o mesmo ocorre com os níveis de glicogênio, sendo que a água segue junto.

Por que dietas low carb matam a sua fome.

É importante considerar que ao optar por um cardápio com menos carboidratos, é normal que a pessoa consuma mais proteínas.
Isso ocorre porque se costuma substituir muitos alimentos pobres em proteínas (grãos, açúcares) pelos ricos em proteínas superiores, como carne, peixe e ovos.
Numerosos estudos mostram que a proteína pode reduzir o apetite, aumentar o metabolismo e ajudar no crescimento da massa muscular, o que colabora para a queima de calorias o tempo todo.
Acredita-se ainda que as dietas low carb possuam uma vantagem metabólica. Ou seja, elas aumentam o gasto energético.
Além disso, quem adere a essa dieta automaticamente reduz o consumo de açúcar, bebidas açucaradas, sucos industrializados de frutas, bem como pizzas, pão branco, batatas fritas, doces e outros lanches que não são nada saudáveis.
O mesmo ocorre com o consumo dos grãos refinados.
A dieta low carb conta ainda com efeitos sobre o apetite, já que é possível comer os demais alimentos à vontade, desde que sejam escolhas inteligentes.
A chave para o controle do apetite novamente está na insulina.
Em um ambiente altamente insulinêmico, como o que acontece quando você come muito carboidrato, acontece o seguinte:
1- A insulina em picos promove a entrada de glicose nas células, o que significa que a glicemia vai baixar. Seu corpo entende isso como recado para comer mais, leia-se fome
2- A insulina em excesso tem ação inibitória sobre a leptina, hormônio que diria lá para o seu cérebro que você já comeu o suficiente. É por isso que você consegue comer um sorvete, depois um biscoito, depois sei lá mais o que.
Sem falar que uma alimentação rica em carboidratos acaba contendo menos gorduras e proteínas, que têm maior poder de saciedade.
Quando você reverte essa relação, focando mais em gorduras e proteínas e menos em carboidratos, a insulina deixa de sabotar seus mecanismos de saciedade, você naturalmente passa a comer coisas que matam a sua fome (por horas a fio), e além disso, entra em cetose, onde passa a queimar gordura o tempo todo.
Você automaticamente passa a comer menos, porque recupera o controle da sua vontade de comer!
Concluindo, e um plano de ação para começar uma dieta low carb hoje mesmo
O primeiro passo para começar a ter os benefícios de uma dieta low carb é, como você deveria imaginar, dar adeus aos carboidratos.
Produtos à base de farinha de trigo, doces, bolos, biscoitos, refrigerantes, isso deve ir embora.
Frutas e raízes (como batata e mandioca) só raramente.
A base da sua alimentação deve ser composta de carnes, verduras, abacate, ovos, nozes e amêndoas, e gorduras saudáveis como o azeite de oliva, a manteiga, o óleo de coco.
Queijos e laticínios são aceitáveis, de preferência os mais gordurosos. Laticínios adoçados não têm lugar!

ALIMENTOS PERMITIDOS
• Proteína de alto valor biológico: carne vermelha magra, peito de frango, peixes, ovos, proteína isolado. Embutidos permitidos, mas deve-se ficar atento à quantidade de sódio e de carboidratos nos rótulos
• Frutas com baixo índice glicêmico: Morango, cereja, amora e mirtilos
• Laticínios: Creme de leite, cream cheese e parmesão
• Gorduras boas: nozes, azeite, óleo de coco e abacate
• Vegetais: Folhas verdes (couve, rúcula, alface, agrião, etc.) e vegetais não amiláceos (couve flor, rabanete, brócolis, alho poró, aspargo)
• Outros: Maionese, leite de coco, frutos do mar, gelatina sem açúcar e adoçantes (sucralose e aspartame)
• Bebidas: Café, chás sem açúcar e água sem gás

ALIMENTOS NÃO PERMITIDOS
• Açúcar
• Trigo
• Produtos diet
• Alimentos integrais: como arroz e pão produzidos com farinha de trigo integral
• Álcool
• Refrigerantes diet, light ou zero
• Iogurte
• Leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico)

REFEIÇÕES DA DIETA
• Café da manhã: Omelete com queijo branco, cebolinha, 1 colher de chá de semente de linhaça dourada e café preto.
• Lanche da manhã: 3 castanhas do Pará
• Almoço: Peixe ou Frango Grelhado, legumes (brócolis, abobrinha, vagem, cenoura), salada verde com tomate e pepino (rúcula, couve)
• Lanche da Tarde: Iogurte desnatado e fruta b(kiwi ou morango)
• Jantar: Salada verde (alface + tomate + cenoura + beterraba) e atum sólido (1 lata)
• Lanche da Noite: Leite desnatado com canela
Se você tem algum problema de saúde fale com o seu médico antes de seguir a dieta

Fonte 

Fonte