Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Beijo 5 doenças transmitidas por ele


Beijo 5 doenças transmitidas por ele

Você sabia que 95% dos germes que se transmitem ao beijar se encontram na saliva e na mucosa nasal? Por sorte, só 20% deles afetam o sistema imunológico.

Beijar é perigoso? Você conhece as principais doenças transmitidas pelo beijo? Beijar é o ato de pressionar os lábios contra os de outra pessoa. Sem dúvidas, trata-se de uma representação do amor. A saliva é um dos principais participantes do gesto, ou seja, a mistura de germes é inevitável. Neste artigo deixaremos de lado a conexão emocional e social de um beijo. O fato de poucos enfatizarem as desvantagens que o beijo tem não significa que elas não existam. A transmissão de doenças e germes pode ser feita por meio da saliva que secretamos.

Entretanto, de forma geral as vantagens são maiores do que o risco. Porém, nunca é demais tomar certas precauções e evitar topar com algum “beijo perigoso”. Preste atenção na lista a seguir para conhecer algumas das doenças transmitidas pelo beijo.

Principais doenças transmitidas pelo beijo

1. Mononucleose infecciosa

Em termos coloquiais, é conhecida como a “doença do beijo”, devido ao fato de que é uma infecção que se contagia pelo intercâmbio de saliva. É causada pelo vírus Epstein Barr, disseminado pelos fluidos bucais.
Surge frequentemente em adolescentes e jovens. Porém, não há uma idade para contraí-la.
Dentre seus sintomas estão a febre, a dor de garganta e gânglios inflamados.
Como detectá-la?
Depois de experimentar os sintomas anteriores o especialista vai indicar um exame de sangue para identificar o vírus e, posteriormente, receitar analgésicos.

2. Citomegalovírus
Na realidade, este vírus é mais comum do que parece. No momento em que o organismo o adquire, ele permanece ali para sempre. O citomegalovírus é transmitido por meio do contato direto com fluidos corporais, transfusão de sangue ou contato sexual. O assombroso é que a maioria dos afetados não sabe que o tem, pois em pessoas com um sistema imunológico forte, não apresenta nenhum risco.
Porém, no caso dos bebês é preciso tomar precauções, já que ao serem contagiados podem ter problemas para o resto da vida.
Como detectá-lo?
Da mesma maneira, é necessário fazer um exame de sangue. A grande maioria dos casos não requer tratamento, só em alguns casos são indicados antivirais e, é claro, manter bons hábitos de higiene.

3. Gengivite

Trata-se de uma infecção que afeta principalmente as gengivas, portanto a cavidade bucal secreta bactérias constantemente. Isso devido à placa pegajosa que se adere aos dentes e gengivas. Dentre os sintomas, se destacam o sangramento, vermelhidão e inflamação da região.

Como detectá-la?
É importante que, diante de qualquer sintoma, o médico seja procurado. A gengivite pode inclusive formar bolsas entre os dentes e as gengivas, assim como o mau hálito.

4. Amigdalite estreptocócica
É uma doença que causa dor na garganta. As bactérias, neste caso, os estreptococos do grupo A e B, atacam de forma direta. Este problema se contagia quando uma pessoa saudável entra em contato com alguém infectado. Inclusive com o simples fato de espirrar ou assoar o nariz a uma distância muito curta.

Como detectá-la?
Dentre seus sintomas encontramos:

Irritação e dor na garganta;
Manchas brancas nas amígdalas;
Inflamação;
Dor de cabeça;
Febre;
Para confirmar o diagnóstico basta que o especialista esfregue suavemente um pequeno bastão com algodão na garganta.

5. Herpes labial

É muito comum o contágio deste vírus ao dar um beijo. O herpes é uma infecção que se localiza nos lábios, na boca e na gengiva. É causada por um vírus muito contagioso denominado herpes simples.

Como detectá-lo?
Os sintomas surgem de uma a duas semanas depois de ter se exposto ao vírus. O herpes causa aftas dolorosas. Também podemos ter:

Febre por mais de 3 dias; Dor de garganta; Inflamação nos gânglios; Em geral, os problemas desaparecem em um período de duas semanas. O especialista determinará o fármaco antiviral, creme tópico ou os cuidados de higiene pertinentes.

O que fazer antes de beijar?
Mantenha uma alimentação saudável para manter o sistema imunológico forte. Siga as indicações para fazer uma boa escovação. Não se esqueça da importância de usar o fio dental. Procure fazer um check up regular, pelo menos uma vez no ano. Renove a escova de dente a cada três meses. Os enxagues bucais ajudam a combater germes.

Esta informação não deve nunca substituir o conselho de um médico se você tem alguma dúvida, consulte o seu médico.