6 sinais de glicemia descontrolada


Reconhecer os sintomas de glicemia alta é essencial para evitar e, caso já esteja instalada, identificar a diabetes, doença responsável por uma massiva parte dos casos de cegueira, amputação e insuficiência renal em todo o mundo.

O que é?

De acordo com o endocrinologista Luiz Akira Hata, a glicemia descontrolada é o estado em que os níveis de “açúcar” no corpo estão acima dos considerados normais.

“A perda desse equilíbrio pode ser passageira ou permanente. O segundo caso pode ser atribuído à diabetes mellitus, doença que atinge 12% dos brasileiros”, afirma. O problema ocorre quando o corpo é deficiente em produzir ou processar insulina, substância que regula a entrada de glicose nas células.

Sintomas de glicemia descontrolada

De acordo com o endocrinologista Luiz Akira Hata, como desidrata o do individuo, a glicemia descontrolada gera sintomas como:

  • Visão turva
  • Sede intensa
  • Boca seca
  • Aumento da frequência urinária

Já o médico Thiago Fraga Napoli acrescenta outras manifestações que só ocorrem quando a glicemia está muitíssimo alterada:

  • Fome exacerbada
  • Alterações no peso sem explicação aparente

Como medir?

A maneira padrão de medir glicose no sangue em casa é por meio do teste do “furo no dedo”, realizado com aparelhos glicosímetros que podem ser adquiridos em farmácias e lojas de artigos médicos.

Entretanto, o diagnóstico só pode ser firmado com um exame de sangue indicado pelo médico e realizado em laboratório, visto que ele é mais preciso.

Como saber se minha glicemia está alterada?


O endocrinologista Thiago Fraga Napoli, explica que os níveis glicêmicos sem jejum acima de 200mg/dL e em jejum acima de 126mg/dL são considerados altos e, na presença dos sintomas de diabetes, podem caracterizar a doença.

Complicações da glicemia alta

A glicemia alta resseca as mucosas e pode aumentar a incidência da infecção vaginal candidíase.

Se for confirmado o diagnóstico de diabetes e o paciente não tratá-la, ele corre risco de cegueira, infarto, acidente vascular cerebral, insuficiência dos rins, impotência sexual e derrame cerebral.

Pode surgir também uma complicação chamada de pé diabético em que a circulação comprometida pelo alto nível de açúcar no sangue causa lesões nos pés e prejudica sua cicatrização, resultando, em último caso, em gangrena e necessidade de amputar membros.

O que fazer?

O ideal é buscar um médico logo que constatar que está com a alteração, seja pelo teste do furo no dedo ou pelos sinais de glicemia alta. Ele dará orientações sobre como controlar diabetes por meio de mudança de hábitos e adoção de medicamentos.

“Na verdade, todas as pessoas deveriam fazer isso antes de qualquer alteração nos exames, especialmente os obesos”, ressalta o especialista Thiago Napoli.

A explicação é que pessoas com sobrepeso, obesidade ou histórico de diabetes na família têm mais chance de desenvolver a alteração pancreática que prejudica a produção de insulina.

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.