Entenda o motivo pelo qual o anticoncepcional pode te causar trombose, AVC e mais


A pílula anticoncepcional evolui nos últimos anos e, com isso, as mulheres passaram a ingerir novas substâncias que protegem contra a gravidez indesejada, mas também podem causar ou agravar diversas doenças cardiovasculares.

Estes novos contraceptivos combinados com estrogênio estão entre os mais associados a formação de coágulos no sangue, colaborando com o desenvolvimento de trombose, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e até infarto – problemas graves que podem ser fatais.

Anticoncepcional causa trombose?

O cardiologista Rafael Nunes afirma que não existe um fator único que relacione a ingestão de pílulas anticoncepcionais e o aumento dos riscos de trombose. Mas que algumas substâncias presentes nos contraceptivos podem dificultar a ação de proteínas C-reativas, consideradas anticoagulantes naturais do corpo.

Desta forma, o sistema cardiovascular fica mais vulnerável ao aparecimento de coágulos e às consequências que surgem a partir disso. A trombose, por exemplo, está ligada justamente a formação destes nódulos na corrente sanguínea, que impedem o fluxo natural nas artérias e veias.

Existem dois tipos de trombose: a venosa, quando o coágulo obstrui a circulação nos membros inferiores e, quando ele se desprende das veias, pode trazer complicações, como embolia pulmonar, por exemplo. E a trombose arterial, que tende a bloquear a circulação do sangue nas vias mais importantes do corpo, que passam pelo coração e o cérebro, podendo gerar outras doenças graves como AVC e até infarto.


Uma pesquisa divulgada no periódico médico The BMJ descobriu que mulheres usuárias de pílulas anticoncepcionais são cerca de três vezes mais propensas a desenvolver coágulos sanguíneos na comparação com aquelas que não usam esse método contraceptivo.

Quais são as pílulas mais perigosas?

Ainda de acordo com o estudo, mulheres que tomam os mais novos tipos de contraceptivos orais, que incluem pílulas que contém formas especiais de progestogênio têm 1,8 mais chances de formar coágulos no sangue do que aquelas que ingerem anticoncepcionais em versões mais antigas.

Este índice, porém, aumenta drasticamente quando a pílula é combinada com outros fatores de risco, como histórico de problemas cardiovasculares na família, idade acima dos 35 anos, diabetes, hipertensão e, especialmente, tabagismo.

Entre as pílulas mais perigosas estão aquelas com novas substâncias como drospirenona,desogestrel, gestodeno e ciproterona. Lembrando que outros métodos anticoncepcionais como pílulas apenas de progesterona, anel vaginal, DIU, entre outros, não trazem riscos de desenvolver doenças como a trombose.

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.