Inchaço – Veja quais podem ser as causas


O inchaço é um sinal objetivo sendo visível pelo médico ou pelo próprio paciente, e muito comum em pacientes internados no CTI-A.

Termo médico: edema

Conceito: O edema é o acúmulo anormal de líquido no espaço intersticial (entre os tecidos). Ele é constituído por uma solução aquosa de sais e proteínas do plasma, cuja composição é variável. Quando o líquido se acumula em todo o corpo, caracteriza-se pelo edema generalizado (anasarca).

De onde vem esse líquido?

O volume de líquidos corporais representa 60 a 70% do peso (variando conforme idade e constituição física). Os líquidos estão distribuídos em 40% dentro da célula (intracelular) e 20% fora da célula (extracelular). Dos 20% que estão fora da célula, 5% nos vasos (intravascular) e 15% estão no interstício (entre os tecidos).

O que pode causar o inchaço?

  • Medicamentos
  • Antidepressivos
  • Anti-hipertensivos
  • Corticoides
  • Anticoncepcionais
  • Anti-inflamatórios
  • Diuréticos
  • Laxantes e purgantes

Menstruação

Muitas mulheres sentem o corpo inchado ou, o que é mais comum, as mamas muito sensíveis. Após dois dias da menstruação esse acúmulo de líquidos diminui e o corpo retorna a sua normalidade. Isso acontece porque nessa fase o nível de estrógeno aumenta, o que favorece a retenção de líquidos inclusive nos rins (eliminação menor de líquidos).

Alterações no sistema vascular

Varizes: ao ficar muito tempo em pé ou sentado as pernas tendem a inchar, problema que pode vir acompanhado pela sensação de peso e formigamento. Isso acontece porque existe um mecanismo de válvulas e com o aumento da pressão há diminuição do fluxo sanguíneo, ocasionando o inchaço das pernas.

Trombos (coagulação do sangue no interior das veias profundas): ocorrem por falta de movimentação por longo tempo (comum em doentes acamados), por doenças do sangue que possam interferir na sua capacidade de coagular ou por alterações nas paredes das veias.

Viagem de avião: a falta de movimento e o efeito da gravidade são as causas principais desse inchaço transitório e variável. Pernas paradas facilitam o acúmulo de líquidos.

Alergia: em casos de reação a alimentos, cremes, produtos de beleza e higiene e perfumes, o inchaço pode funcionar como uma estratégia de defesa do organismo: após ou durante a exposição, o corpo reage levando ao extravasamento de liquido fora dos vasos para a área afetada. O objetivo é neutralizar o agente agressor (o inchaço pode ser visto no corpo ou nos lábios).

Trauma: Após um tombo ou pancada é normal aparecer o inchaço, resultado de um mecanismo inflamatório de autodefesa que altera a permeabilidade dos vasos sanguíneos do local afetado.

Temperatura elevada: no verão é comum que o sapato fique mais apertado e o anel fique mais difícil ou preso ao dedo. Quando a temperatura externa sobe, o corpo reage produzindo uma dilatação dos vasos sangüíneos periféricos uma operação que favorece a perda de calor. Essa reação provoca um inchaço discreto, principalmente nos pés e nas mãos.

Doenças cardíacas
A insuficiência cardíaca, quando o coração não tem força para bombear o sangue, propicia um aumento da pressão venosa com acúmulo de sangue no território venoso.


Alterações no funcionamento dos rins
Os rins precisam estar em pleno funcionamento para garantir a eliminação equilibrada de líquidos. Qualquer falha nesse mecanismo pode ser a responsável pelo acúmulo de líquidos e, consequentemente, o inchaço.

Problemas no fígado
Quando o fígado está doente, como nos casos de cirrose (provocada pelo consumo abusivo do álcool), pode ocorrer um inchaço típico na região do abdômen. Nesse caso, o fígado deixa de produzir a principal proteína chamada albumina, substância essencial para a retenção dos fluidos corporais que estão dentro dos vasos sangüíneos.

Tireoide
Glândula tireóide com diminuição do seu metabolismo leva ao hipotireoidismo, logo se nota um aumento no volume do rosto e do corpo em geral. Pode não ser considerado um inchaço, pois não há acúmulo de água e sim outras substâncias (ligadas ao metabolismo das gorduras).

Outras causas

  • ​Obesidade (pela tendência à formação de varizes)
  • Ingestão de alimentos com muito sal
  • Gravidez
  • Grandes queimaduras
  • Internações prolongadas (principalmente em UTI )
  • Alguns tipos de câncer
  • Desnutrição (pela deficiência severa de proteínas )
  • Hemiplegias (paralisia de algum membro devido a acidente vascular cerebral, conhecido popularmente como “derrame na cabeça” )

Quais locais do corpo podem inchar?

O inchaço pode ocorrer nos braços, tórax, pescoço, face, lábios, língua e região íntima. Porém, também pode ocorrer no pulmão, fígado, cérebro, glote, baço etc.

Quando o inchaço é uma preocupação?

  • Dor, calor ou vermelhidão acompanharem o inchaço.
  • Aumento significativo do abdômen (não associado à ingestão alimentar aumentada).
  • Cansaço ou falta de ar para realizar tarefas habituais ou mesmo em repouso.
  • Inchaço localizado nas articulações ou extremidades (dedos, cotovelos, joelhos, tornozelos), principalmente associado à dor.

Tratamento

Quando as condutas simples como uso de meias elásticas e/ou elevar as pernas não são efetivas, o recomendável é procurar um médico especialista .

Prevenção

  • Evitar ficar muito tempo em pé ou sentado. Alterne os movimentos
  • O uso de meias elásticas deve ser recomendado pelo médico, que tem condições de avaliar a real necessidade;
  • Evite uso de sapatos altos por tempo prolongado (má distribuição do peso prejudica o retorno venoso)
  • Diminua o uso de sal na dieta
  • Evite temperaturas elevadas ou exposição excessiva (saunas prolongadas ou banhos quentes)
  • Durante viagem de avião ou carro /ônibus, alterne movimentos com os pés (favorecer circulação)
  • Evite a automedicação! Você pode desencadear algum fator de surgimento para o inchaço ou mascarar sinais e sintomas
  • Exercícios físicos apropriados e dirigidos de acordo com suas condições e estrutura
  • Evite o uso abusivo de álcool.

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.