Micose de pele – Sintomas tratamentos e prevenção


Micose  é uma  infecção causada por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos. São particularmente frequentes nos trópicos, onde existem condições ideais de calor e umidade, necessárias para o desenvolvimento dos fungos. São exemplos de micoses superficiais a pitiríase vesicolor, as tineas, a candidíase e as onicomicoses. 1) Pitiríase Versicolor Doença muito comum, especialmente entre jovens, de evolução crônica e recorrente.

Indivíduos de pele oleosa são mais susceptíveis a apresentar esse tipo de micose, também conhecida como micose de praia ou pano branco, e que é causada por fungos do gênero Malassezia. 1.1) Tineas (tinhas) Doenças causadas por um grupo de fungos que vive às custas da queratina da pele, pelos e unhas. Estes fungos podem ser zoofílicos (encontrados em animais), geofílicos (encontrados no solo) e antropofílicos (encontrados nos homens). 1.2) Candidíase Infecção pela cândida pode comprometer isoladamente ou conjuntamente a pele, mucosas e unhas.

É um fungo oportunista, assim, existem situações que favorecem seu desenvolvimento, como baixa da imunidade, uso prolongado de antibióticos, diabetes e situação de umidade e calor. 2) Onicomicoses Principal causa de alteração ungueal vista no consultório. Acomete tanto as unhas dos pés quanto as das mãos. São raras na infância com predomínio no adulto maior de 55 anos. Geralmente a unha se descola do leito e se torna mais espessa. Pode também haver mudança na coloração e na forma.

Sintomas

  • Pitiríase versicolor: apresenta-se clinicamente como manchas brancas, descamativas, que podem estar agrupadas ou isoladas. Normalmente surgem na parte superior dos braços, tronco, pescoço e rosto. Ocasionalmente, podem se apresentar como manchas escuras ou avermelhadas, daí o nome versicolor.
  • Tineas (tinhas): manifestam-se como manchas vermelhas de superfície escamosa, crescem de dentro para fora, com bordas bem delimitadas, apresentando pequenas bolhas e crostas. O principal sintoma é coceira.
  • Candidíase: pode se manifestar de diversas formas, como placas esbranquiçadas na mucosa oral, comum em recém-nascidos (“sapinho”); lesões fissuradas no canto da boca (queilite angular) mais comum no idoso; placas vermelhas e fissuras localizadas nas dobras naturais (inframamária, axilar e inguinal), ou envolver a região genital feminina (vaginite) ou masculina (balanite), provocando coceira, manchas vermelhas e secreção vaginal esbranquiçada.

Onicomicoses: geralmente a unha se descola do leito e se torna mais espessa. Pode também haver mudança na coloração e na forma.


  • tratamentos
  • Pitiríase versicolor: o tratamento pode ser feito com medicamentos antifúngicos tópicos ou orais.
  • Tineas: no tratamento das tineas podem ser utilizados antifúngicos locais ou orais.
  • Candidiase: no tratamento da candidíase, deve-se sempre considerar os fatores predisponentes, tentando corrigi-los. Antifúngicos tópicos e sistêmicos devem ser empregados sob orientação médica.
  • Onicomicose: o tratamento é difícil e muito prolongado. Pode feito com medicamentos locais ou orais.
    Atenção: na suspeita de micose deve-se procurar auxílio médico. Os médicos dermatologistas possuem treinamento especializado e atualizado para diagnosticar e tratar as micoses.

Prevenção
Hábitos higiênicos são importantes na prevenção das micoses. Usar somente o próprio material ao ir à manicure. Secar-se sempre muito bem após o banho, principalmente nas dobras, como as axilas, as virilhas e os dedos dos pés. Evitar o contato prolongado com água e sabão. Evitar andar descalço em locais que sempre estão úmidos, como vestiários, saunas e lava-pés de piscinas. Não ficar com roupas molhadas por muito tempo.

Não compartilhar toalhas, roupas, escovas de cabelo e bonés, pois esses objetos podem transmitir doenças. Não usar calçados fechados por longos períodos e optar pelos mais largos e ventilados. Evitar roupas muito quentes e justas e aquelas feitas em tecidos sintéticos, pois não absorvem o suor, prejudicando a transpiração da pele

Remédios caseiros para micose de pele

Chá de aipim

Um bom remédio caseiro para micose de pele é limpar o local com um chá preparado com as folhas de aipim.

Ingredientes

  • 3 folhas da aipim
  • 250ml de água fervente

Modo de preparo

Adicione as folhas de aipim picadas à água fervente, tape e deixe repousar por 10 minutos. Em seguida, coe e molhe um pedacinho de algodão neste chá e aplique na região afetada cerca de 3 vezes ao dia, após o banho, até a micose desaparecer.

Após passar o chá é normal que a pele fique um pouco ressecada, por isso, recomenda-se hidratá-la com um pouquinho de óleo de amêndoas depois. Mesmo depois que a micose desaparecer, continue passando o chá no local por mais 2 dias, para garantir o sucesso do tratamento.

Atenção: O chá das folhas de aipim é tóxico e por isso não pode ser ingerindo, sendo somente indicado para uso externo.

Chá de salvia

Um bom remédio caseiro para micose de pele é colocar uma compressa de sálvia na região porque ela possui propriedades cicatrizantes que ajudam na recuperação da lesão.

Ingredientes

  • 2 gotas do óleo essencial de sálvia

Modo de preparo

Molhe uma gaze ou um pedacinho de algodão com o óleo essencial de sálvia e passe em toda a região com micose. A seguir, tape com um pano limpo e deixe atuar na pele.

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.