Roer a unha – Malefícios que o hábito trás para a saúde


ALERTA Isso é o que acontece se você roer as unha 
Os principais motivos para as pessoas ficar roendo suas unhas são tensão, nervosismo e aflição. E algumas pessoas tem o costume de roer a unha até chegar quase na carne viva, mas saiba que além da dor que isso gera, esse hábito pode fazer muito mal para seu organismo, e até mesmo existe uma doença para quem tem esse costume.
Veja abaixo.
1. Onicofagia: transtorno obsessivo
Roer as unhas pode potencializar muito as chances de danos à saúde do corpo, e isso quase ninguém nem imagina. Ter um hábito desses é tão sério que segundo especialistas, a estética de nossas mãos pode acabar, além de transmitir vários germes e vírus para a sua boca. Esta atividade é tão problemática que é considerada cientificamente como um transtorno obsessivo que recebe o nome de onicofagia.
2 – Problemas
Comer e/ou roer suas unhas geram um transporte absurdo de germes que ficam embaixo da sua unha até a boca. Esse transtorno obsessivo se torna tão grave, que em muitos casos algumas pessoas começam a roer a pele ao redor das unhas e, junto disso, a cutícula. Outras chegam a romper a camada que envolve o seu dedo, o risco de proliferação de patógenos, micróbios e vírus aumentam em 80%, segundo infectologistas.
3 – Como remediar
Para você conseguir parar de vez de comer e roer as unhas nós vamos tentar te ajudar, pois segundo algumas pesquisas, as mulheres a partir de 13 e 15 anos são os perfis que mais buscam ajuda quanto a este tipo de transtorno, então, mulheres, vamos ajudar vocês.
1º- Ter força de vontade de parar. 
2º- Buscar controle sobre seus atos e buscar ajuda psicológica, já que isso é um transtorno psicológico.
3º- Buscar ajuda de um dentista para que ele desenvolva um protetor plástico para que seus dentes param de se desgastar.
4º- Buscar por exercícios de relaxamento de forma que você encontre situações e momentos que te prendam a atenção e façam esquecer de roer as unhas.
Mas a melhor dica é você evitar passar remédios caseiros e buscar ajuda de especialistas.