Pedra na vesícula : Mulheres correm mais risco de ter


A pedra na vesícula é caracteriza pela formação de pequenas pedrinhas que se alojam na vesícula biliar, um órgão próximo ao fígado.  

Como causa grande desconforto e diversas outras questões, é importante entender melhor como isso ocorre.  

Então, vem comigo e descubra se mulher tem mais riscos e muito mais! 

Como surge a pedra na vesícula  

Para começar, a pedra na vesícula não tem exatamente uma causa.  

Entretanto, a ideia é de que isso ocorre devido ao colesterol excretado pelo fígado e que não é dissolvido pela bile, o que forma pequenos cristais.  

Esses cristais, que são as pedras, podem ser de diferentes proporções.  

Vale ressaltar que o diagnóstico ocorre através de uma ultrassonografia e o tratamento costumar ser cirúrgico, para remoção das pedras através da laparoscopia.  

Já em relação aos sintomas, é comum dores fortes no lado direito da barriga, febre, diarreia, enjoos, perda de apetite e cor amarelada nos olhos ou na pele.  

Mulher tem mais riscos de ter pedra na vesícula – Verdade ou mito?  

De acordo com algumas pesquisas recentes, as pedras na vesícula são mais comuns nas mulheres, principalmente durante a chamada idade fértil.  


Entretanto, a condição também é comum em torno dos 40 anos, devido ao aumento na secreção de colesterol, o que sobrecarrega a bile.  

Em suma, isso acontece em maior parte nas mulheres também pela reposição hormonal.  

Seja durante a vida jovem com uso de anticoncepcionais ou na vida adulta para a reposição de estrogênio.  

Justamente por isso, a verdade é que as mulheres têm maiores chances de desenvolver pedras na vesícula.  

Inclusive, isso pode acontecer durante a gravidez, tendo relação com as alterações comuns desse período.  

Idade fértil: em média, dos 18 aos 35 anos.  

Para evitar as peras na vesícula, a dica é ter uma alimentação balanceada e comer oleaginosas, como amêndoas, vegetais, grãos integrais e alimentos ricos em vitamina C.  

Praticar exercícios com regularidade e evitar quaisquer excessos também auxiliam no controle interno e, consequentemente, reduz o risco de doenças.  

Conclusão  

Enfim, as mulheres têm mais ricos de ter pedra na vesícula devido as alterações e reposições hormonais, comuns em quase todas as fases da vida.  

No mais, é preciso cuidar da alimentação e rotina para evitar e, diante de qualquer sintoma, procurar ajudar médica.  

Então, ainda ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo para que eu possa lhe ajudar.  

Até o próximo post! 

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.