Pimenta ajuda emagrecer e acelera o metabolismo


À primeira vista, pode ser que a pimenta pareça fazer mal à saúde. Contudo, as aparências podem enganar: o alimento é muito benéfico, ajuda a emagrecer, acelera o metabolismo e ainda previne diarreia, artrite reumatoide e promove o bem-estar.

Benefícios 

Boa parte dessas benfeitorias acontece graças à capsaicina, que é a responsável pelo sabor ardidinho e, entre outras coisas, estimula a produção de endorfina, substância dá sensação de prazer. Além disso, ela é rica em cálcio e vitaminas A e C e é considerada cicatrizante, antidiarreica e adstringente.

“Os compostos  são alvo de estudos que tentam provar que ela pode ser eficaz no tratamento de câncer e diabetes. Hoje, já é comprovado que ajuda contra artrites e neuropatias”, afirma o médico ortolomecular Dr. Wilson Rondó Jr..

A pimenta emagrece porque tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que limpam as células e permitem o bom funcionamento do organismo, evitando assim o acúmulo de gordura e a obesidade.

Alimento termogênico

Outra forma de ajudar na dieta está no potencial de acelerar o metabolismo. Isso é o que fazem os alimentos termogênicos. Eles necessitam de maior queima de energia para serem digeridos e, por isso, chegam a ser responsáveis por cerca de 10% do gasto total de energia, potencializando o emagrecimento e fazendo com que o corpo queime calorias mais rápido.


Como consumir

Todos os tipos de pimenta possuem essas características, contudo, a pimenta-do-reino deve ser evitada, já que pode desencadear um grande desconforto gástrico. Para garantir os benefícios, também evite os molhos condimentados, que são ricos em sódio e outros produtos industrializados.

As melhores são as colhidas da horta. “Se for caseira, é muito mais saudável. Mas não são todas as pessoas que têm acesso a isso. Nesse caso, busque no mercado pelas pimentas hortículas puras e das melhores marcas”, orienta o especialista, que afirma que os tipos de pimenta mais comuns no mercado são a americana (doce), cambuci, cumari, dedo-de-moça, pimenta-de-cheiro e malagueta.

Dr. Rondó garante ainda que é possível comer pimenta todos os dias. “Não há problema consumir pimenta em todas as refeições principais, desde que a pessoa não seja alérgica a pimenta e tenha moderação”. Esse é um alimento muito presente na dieta ayurvédica.

Veja também