Gripe resfriado virose entenda a diferença

Você acordou de manhã com a cabeça pesada, a garganta irritada e o nariz escorrendo. Será que é gripe, resfriado ou virose? Antes de explicarmos sobre as diferenças entre essas doenças, vamos ver o que elas têm em comum. A gripe, o resfriado e as viroses muitas vezes causam sintomas semelhantes. Todas elas são causadas por vírus e podem nos incomodar bastante, deixando o corpo enfraquecido e suscetível a outros problemas de saúde.

Para acabar de vez com a confusão, preparamos este artigo para esclarecer todas as suas dúvidas. Boa leitura!

O que é a gripe?
A gripe é uma infecção respiratória intensa causada pelo vírus Influenza. Seus sintomas se manifestam de uma hora para outra e podem incluir:

tosse; irritação na garganta; dores de cabeça; dor no corpo; dificuldades para respirar; febre alta.

A gripe é uma doença perigosa para pessoas que apresentam imunidade baixa, como bebês e idosos. Se não for devidamente controlada, favorece o desenvolvimento da pneumonia, uma infecção dos pulmões que pode necessitar de internação para ser combatida.

O tratamento da gripe inclui repouso e a ingestão de muito líquido. Alguns remédios podem ser usados para aliviar alguns sintomas, como congestão nasal, febre e dor.

E o resfriado?
O resfriado é uma infecção respiratória mais leve do que a gripe. É causado por diferentes tipos de vírus, sendo os rinovírus os mais comumente associados à doença. Os sintomas do resfriado incluem coriza, congestão nasal e tosse — a ocorrência de febre é pouco frequente. As crianças em idade pré-escolar são as que mais sofrem com os resfriados, podendo apresentar até nove infecções ao ano.

A recuperação do resfriado é rápida. É preciso manter repouso, ingerir bastante líquido e, se preciso, usar medicamentos que aliviam os sintomas ajudam no tratamento da doença.

O que é virose?
A virose é um termo genérico atribuído a qualquer infecção que seja causada por um vírus. O termo indica que a doença é autolimitada. Isso quer dizer que o próprio sistema de defesa do corpo combate a infecção e que os remédios servem apenas para aliviar os sintomas incômodos.

Há diversos tipos de viroses, sendo as gastrointestinais e respiratórias as mais recorrentes. Os sintomas normalmente incluem mal estar, febre, dores na cabeça e no corpo, náuseas e diarreia.

Como evitar essas doenças?
Uma vez que são todas causadas por vírus, essas doenças podem ser evitadas com boas práticas de higiene. Assim, não compartilhar objetos, como talheres e copos, lavar as mãos e evitar o contato com pessoas doentes são formas de se prevenir contra gripes, resfriados e viroses.

Se você apresenta alguns desses sintomas, é importante cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar e evitar tocar objetos para não contaminá-los. Dessa forma, é possível conter a disseminação dos vírus.

A principal forma de evitar a gripe é pela vacinação. A cada ano, a vacina é atualizada para se adequar aos vírus que estão circulando no momento. Normalmente, ela é oferecida para a população entre os meses de abril e maio e beneficia, principalmente, idosos, gestantes e crianças.

Quando é necessário procurar um médico?
Pessoas com a saúde em dia podem se recuperar de resfriados e gripes em casa. Entretanto, devem buscar ajuda médica caso percebam alguns sinais, como febre alta por mais de 48 horas, dores no peito, dificuldade para respirar, manchas pelo corpo e dor forte nas articulações.

Mesmo um simples resfriado pode abrir espaço para outros problemas mais graves, como sinusite e pneumonia. Por isso, o paciente deve ir ao médico quando os sintomas se agravarem.

Agora que você conhece a diferença entre gripe, resfriado e virose, previna-se de maiores complicações e agende uma consulta com um pneumologista se apresentar sintomas mais graves!

[ Fonte DR Consulta ]

As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. Este blog tem a finalidade de lhe ajudar, mas não substituir o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.